You are currently viewing 8 mitos sobre a obtenção do benefício do INSS

8 mitos sobre a obtenção do benefício do INSS

Na hora de dar entrada no seu benefício do INSS é normal surgirem várias dúvidas sobre o assunto. Neste texto te ajudamos a desmistificar o que é ou não verdade sobre os seus direitos e garanti-los de forma correta

 

1- Quem recebe pensão por morte não pode mais se casar, sob pena de perder o benefício do INSS.

A Lei 8.213/91 – Lei de Benefícios da Previdência Social garante a não proibição para que a viúva ou viúvo beneficiário contraia um outro matrimônio. Entretanto, a lei não possibilita que o pensionista adquira uma nova pensão por morte do novo cônjuge. Neste caso, como não é possível obter mais de uma pensão por morte, então fica a critério do pensionista optar pelo benefício mais vantajoso.

 

2- Quanto maior for a quantidade de filhos, maior será o valor do auxílio-reclusão.

O auxílio reclusão é dado a dependentes do segurado de baixa renda que está detido. É uma forma de ajudar a família do preso, principalmente se ele for a principal fonte de renda do ambiente familiar.

Filhos dependentes menores de idade têm direito a este benefício do INSS. Caso o detido tenha mais de um dependente menor de idade, divide-se o valor do benefício do INSS igualmente entre todos os dependentes.

 

3- Com a Reforma da Previdência terei que me adequar às novas regras para me aposentar

Não necessariamente. Aqueles que já estão ‘’na casa’’ dos 60 anos e ao menos 15 anos de contribuição para a previdência social têm grandes chances de escapar das novas regras de aposentadoria. Isso pois, esses segurados podem pedir aposentadoria por idade.

Quem se aposentar com quinze anos de contribuição tem direito a 85% da média salarial, a reforma da previdência fixará o benefício por idade como uma única regra, a diferença está apenas no cálculo que agora é 60% do salário de contribuição.

 

4- Tenho que aceitar o valor do benefício do INSS

Antes de tudo, indicamos prestar atenção em 3 dicas importantes antes de começar a receber a aposentadoria:

  • Verificar se o benefício foi dado integralmente;
  • Verificar o cálculo do valor concedido;
  • Cogitar atrasar a aposentadoria. 

Você não é obrigado a aceitar o valor do benefício do INSS, é comum ocorrer de começar a receber o valor e logo depois perceber que há algo errado com a quantia. Quando você começa a receber, você não pode mais mudar a data, e consequentemente o valor da sua aposentadoria, mas pode fazer um pedido de revisão. 

Como o nome já diz, a revisão é uma nova análise por parte do INSS. Isso pode ser bom ou ruim, pois tanto pode aumentar como pode também diminuir o valor. Com isso, sugerimos se preparar com uma consultoria previdenciária para garantir e estar em dia com todos os seus direitos.

 

5- O valor do benefício do INSS é reajustado pelo salário mínimo

É direito do segurado que o valor do benefício do INSS não seja reduzido, a fim de preservar o maior poder aquisitivo.

Desde o ano de 1991 que beneficiários previdenciários passaram a ter os seus reajustes desvinculados do salário mínimo. A razão principal é preservar a sua renda mensal, já que se uma pessoa se aposentou com 5 salários mínimos, por exemplo, recebe um menor valor hoje, visto que o governo vem aplicando valores acima da inflação.

 

6- O INSS orientará com todos os documentos que preciso

Nem sempre o Instituto te orienta corretamente com tudo que você precisa saber e documentos que precisa apresentar. Por isso, aconselhamos ter uma consultoria previdenciária, pois é sempre bom já ir preparado para dar entrada na aposentadoria ou qualquer outro benefício do INSS.

Esse é um ponto essencial, como já alertamos em outro texto e uma advogada capacitada te orienta e auxilia com tudo que você necessita, de forma tranquila e assertiva.

 

7- Como recolhi na maioria do tempo no teto do INSS vou me aposentar com o teto máximo do INSS

Hoje, o valor máximo do teto do INSS é de R$ 6.101,06.  Porém para estar apto a receber o teto máximo do benefício do INSS é necessário que o valor dos pagamentos anuais de contribuição seja este mesmo mencionado acima. Sendo assim, se o beneficiário foi um trabalhador empregado, a remuneração deve ultrapassar o valor do teto do INSS. 

Após a reforma da previdência, para receber 100% da média de contribuição o homem precisa ter contribuído por 40 anos e a mulher por 35 anos.

 

8- Tenho 65 anos, já posso me aposentar

Os requisitos para aposentadoria por idade são de 65 anos para homens e 60 para mulheres. A idade mínima é reduzida em 5 anos para ambos os sexos apenas para trabalhadores rurais. 

Portanto, para se aposentar por idade e receber o benefício do INSS é necessário 180 contribuições mensais para a Previdência Social. Se você for homem e já atingiu a idade mínima para aposentar e não contribuiu os 180 meses, ainda não será possível se aposentar.

Dúvidas na hora de receber o seu benefício? Consulte um especialista previdenciário para te auxiliar na sua garantia de direito!